29.4.08

Ainda "Entre Aspas"

Que metro serve
para medir-nos?
que forma é a nossa
e que conteúdo?
Contemos algo?
somos contidos?
dão-nos um nome?
estamos vivos?
A que aspiramos
Que possuimos?
Que lembramos?
Onde jazemos?
Nunca se finda
Nem se criara
Misterio é o tempo
Inigualável

Que incrível! Não conhecia esta poesia do Drummond, mas quando li "Perguntas em forma de Cavalo-Marinho", num dos blogs participantes do Projeto Entre Aspas - A Vida Como a Vida Quer - me identifiquei e lembrei imediatamente disso:
.
"Não vim com rótulo. Modo de usar. Indicação. Não sei pra que sirvo. O que contenho. Se curo ou enveneno. Se tenho prazo de validade..."
.
Escrevi em fevereiro/2006 e está aqui.
Acho que é isso que nos encanta tanto quando lemos uma poesia: a identificação! Sentir que alguém consegue expressar o que sentimos, de forma poética e precisa! Adorei!!
.
*A lista completa dos participantes está no Acqua!

28.4.08

Entre Aspas - "Bruna Lombardi"

Pacto

entre o teu signo e o meu
existe uma possibilidade
de veneno
umas tintas de vermelho
meu moreno
e se a paixão há de ser provisória
que seja louca e linda
a nossa história.
.

Fascínio

a face oculta das palavras
às vezes se mostra
na mais estranha luz
e a parte escura
nunca antes revelada
aflora ousada
com uma intimidade inesperada
como a primeira claridade
de uma aurora.
Todas essas malditas palavras sem pudor
que eu queria afugentar
mandar embora.
as palavras elas, as palavras
suas luzes, seus ritimos, significados.
.

Cio

Quero dormir com você ou pelo menos
Te dar um beijo na boca
O meu amor não tem pudor, nem acanhamento
Não tem paciência, não agüenta mais
A urgência do desejo
E eu te olho, te olho, te olho
Como se dissesse.
Penso, ele há de perceber, me encosto um pouco
Espero um gesto, um sinal, uma atitude
Que eu possa interpretar como uma resposta,
Uma indicação,
Mas você é um homem sério e continua
Se escondendo atrás dessas teorias
E nem te brilha no olho uma faísca de tentação.
Aí que aflição
Pensar no que eu faria
Se pudesse.
Desejo que não acontece
Fica parado no peito
Aí vira obsessão.
.
Mais poesias da Bruna aqui.


Gosto do que ela fala, também:

“A maneira como o seu homem te olha é fundamental. Se há amor, provavelmente haverá generosidade e aí ele vai achar você bonita, gostosa. Temos que ficar com quem nos enxerga, nos valoriza, nos põe para cima.”

“Esse conceito de belo, esteticamente definido e identificado pelo mundo, é um presente que você tem que agradecer, como de qualquer outro atributo que recebe de Deus, da natureza. Mas é preciso batalhar para tornar isso uma coisa melhor... Quer dizer, trabalhar a beleza de dentro para fora. Emanar uma boa energia, querer bem às pessoas, defender a sua qualidade de vida e a dos outros, fazer o que você pode para que todos sejam felizes... Enfim, manter a beleza com equilíbrio e espiritualidade.”

"Sou contra dieta radical, sacrifício. Acredito que, quando você gosta mesmo de uma coisa, não deve se privar. Tem que ter felicidade e uma certa indulgência na conduta, mesmo à mesa”.

"...liberdade de permitir ao outro que ele mude constantemente, porque assim você se relaciona eternamente com o novo". (Sobre a longevidade das relações.)

____________________________________

Participação na blogagem coletiva "Abre Aspas", proposta pela Lunna, do Aqua.

Vi na Rosamaria e achei maravilhoso tantos blogs começarem a semana publicando seus poetas preferidos...

27.4.08

Que tal??

Ter um retrato pintado por um grande artista?
.


Tem um programa chamado Face of the Future que faz isso num passe de mágica!
É muito engraçado ir testando as várias opções: mudança de raça, de sexo, de idade...
Minha versão masculina ficou a cara do Dude! Quero dizer, se o Dude fosse muuuuito feio e mal acabado! Hehehehe! Ficou tão horrível que não tive coragem de postar aqui!

Iguais!!


Uma Mulher, de Modigliani e Clarice Lispector!
Eu acho iguais!
:)


-> Mais aqui.

26.4.08

Venderam a Telúrica??



Crônica de Fernando Adauto, escrita em outubro/2003.
Só achei este site agora e achei a cara das histórias que se conta lá, na Telúrica!

"Estou muito preocupado com as reformas propostas pelo atual governo federal. São importantíssimas, fundamentais, já deveriam ter sido feitas, mas estão sendo desvirtuadas e ao invés de melhorarem a economia brasileira podem piorar e agravar as dificuldades atuais. Assisti muitas reformas e tentativas de mudança no Brasil. Foram muitos pacotes, planos, tabelamentos, confiscos e reformas monetárias. Fizemos em 1988 uma constituição pretensiosa e generalista que até agora não sei que contribuição trouxe ao desenvolvimento do País. O interesse de alguns governadores e a ignorância de boa parte dos parlamentares sobre o tema das reformas podem comprometer os resultados e mais uma vez perdermos a oportunidade de acertar o caminho.

Gosto muito dos bares. Acho o bar, a taberna, uma grande invenção, é melhor que restaurante e outros similares. A informalidade do bar descontrai as pessoas e faz com que esse ambiente seja o melhor lugar para conversar, negociar, namorar, discutir futebol, política e como dizia o Antonijo o bom não é a caçada, são os comentários da caçada. “A Telúrica" em Lavras do Sul é um bar muito agradável. Na sua simplicidade, tem personalidade e cativa todas as gerações. Como em Lavras moro na Estância, quando vou à cidade freqüento a Telúrica. Diversas vezes fico para jantar e em algumas oportunidades saio na varredura. Em uma dessas reformas em que a inflação corroeu o valor da moeda e foram tirados três zeros do dinheiro, fiquei para jantar “na Lavra”. Depois da conversa com os amigos, regada com os bons vinhos da casa, pedi a despesa e paguei com um cheque que preenchi na euforia de animada discussão. No outro dia, quando cheguei do campo, tinha um recado do Banco do Brasil que pedia contato. Liguei para o Banco. O Ricardo atendeu e em tom de chacota perguntou:

- Compraste a Telúrica?

Tinha esquecido de tirar os três zeros do dinheiro novo. Dei um cheque de trinta mil cruzeiros para pagar uma despesa de trinta cruzeiros. Como em Lavras todo mundo se conhece e a intenção vale mais que uma reforma, o Banco pagou os trinta cruzeiros devidos, debitou na minha conta e devolveu o cheque absurdo.

De todas as reformas a mais importante para a agropecuária é a tributária. Dela depende o desenvolvimento das cadeias. A instalação de agroindústrias competitivas que tenham escala, marca e gerem os empregos tão necessários as nossas comunidades rurais depende de um novo modelo tributário. A competitividade deste setor está na sonegação e na guerra fiscal. Precisamos mudar. Qualquer coisa que fique parecido com o que temos atualmente não nos serve. Não precisamos inventar a roda. É só olhar o que a maior economia do mundo faz e copiar. Cobrar todos os impostos no destino é fundamental para a competitividade do setor e o desenvolvimento do Brasil."

Rosinha no Diário de Santa Maria

Reportagem de Luiz Roese:

"Com 10 anos no Brasil, a ferramenta se consolida na
Internet. Nesse universo chamado blogosfera, Santa Maria tem 1,2 mil páginas... A facilidade para fazer um blog e melhorá-lo com a ajuda de outros blogueiros é um dos fatores que estão levando tanta gente a criar um espaço só seu na rede mundial de computadores. E quem pensa que a prática é exclusividade de gente mais jovem está muito enganado.
Aos 63 anos, Rosamaria Costa (rosacc60.blogspot.com) tem um blog. A dona-de-casa começou sabendo quase nada de Internet. Queria apenas fazer um comentário no site de uma amiga. Acabou incentivada por ela e, hoje, posta freqüentemente crônicas, poemas e fotos.

- Já fiz muitos e ótimos amigos. Basta ver os links lá no blog - revela a avó de duas netas."

"Como pooode??"


Imagem FFFFound


Eu tinha um colega, no Banco em que trabalhava, que vivia contando histórias de uma tia dele. Não lembro o nome dela, mas a pergunta que ela sempre repetia era "como pode?".
Ela era muito simples e vivia admirada com as pessoas e as suas atitudes. E suas descobertas - especialmente no que diz respeito às lides domésticas.
Ela dizia coisas assim:
- "Não consigo entender quem descobriu que a clara do ovo vira merengue, que a nata do leite vira manteiga, que fermento faz o pão crescer! Como pooode?"
- "Antes, morria alguém, todo mundo andava de preto um ano inteirinho. Agora ninguém usa luto e as viuvas já seguem namorando! Como pooode??"
- "As crianças sabem mais mexer na TV do que eu! Parece que elas já nascem sabendo! Como poooode?"
- "Pra ferver leite era preciso trazer lenha, acender o fogo e esperar muito tempo! Agora põe no copo dentro do forno e é num instante! Não precisa nem esfregar a leiteira!! Como pooode??"
- "Antes só se namorava em casa, com a família inteira cuidando. Agora as meninas saem para a rua e nem tem hora para voltar! Como pooode??"
Pelo que o meu colega contava, ela era faladeira, inquieta, observadora... Não era moralismo, não. Era pura estupefação!!
O que sei é que o "como pooode" se incorporou no nosso vocabulário e rendeu boas risadas!!
Agora, me sento para assistir TV e tenho que me conter para não repetir a perguntinha a cada segundo! Pura estupefação, incredulidade... assombro, mesmo!!
Cada notícia, cada coisa...
Gente, como pooode??
.

Isabela




Multicolorida e translúcida
a bolha de sabão pousa na flor.
Isabela tem olhos de promessas,
de encantamento e explendor.
.
Nina Chiappetta Boeira fotografou sua filha Isabela e meu sábado ficou bonito demais!
.

A alegria possível

Para espantar a tristeza:
(Nada profundo, simplesmente coisas que funcionam para mim...)

* Estar no sol (em dias frios é perfeito)
* Acender velas
* Ouvir música
* Comer chocolate
* Navegar em sites de imagens e fotografias
* Fazer colagens com as minhas fotos e ver o efeito :)
* Andar pela casa, quando estou sozinha, sabendo que é para cá que meus amores vão voltar, no final do dia. Saber que temos nosso porto seguro, nosso lugar de paz
* Ser grata, por tantas coisas... afetos, conquistas, lembranças...
* Constatar que eu e meus filhotes temos uma "sintonia"... que entendemos um ao outro no detalhe, no olhar, no humor
* Ler o que as pessoas escrevem e me encantar...
* Respirar com consciência
* Rezar e confiar

Não se trata de ficar alienada, fingir que o mundo é perfeito, mas sinto necessidade de alegria... Talvez porque tenha convivido a vida inteira com a depressão da minha mãe me recuso a me sentir vítima, sofredora, infeliz!
Será que é preciso justificar a alegria??


.

"Se a realidade nos alimenta com lixo, a mente pode nos alimentar com flores"

Caio Fernando Abreu
_____________________________________

Meu post acabaria aqui, se o acaso não tivesse me levado a um blog de uma pelotense chamada Marta Sousa Costa. Passei os olhos rapidamente, achei que não teria nenhuma afinidade com o que ela escreve por simples julgamento apressado, pela cara do blog, sei lá.
Mas me deparei com este post onde ela diz exatamente assim:
"No cenário globalizado e consumista dos nossos dias, a felicidade é artigo em falta nas prateleiras.
Algumas mulheres, raras, podem estar felizes e por isso se julgarem alienadas. É bom aproveitar, enquanto é possível. As ondas vão e vem, ora trazem alegria, ora sofrimento; não há como escapar. Mas a tristeza tem pressa de ir embora, se a gente não lhe dá achego demasiado. A felicidade, ao contrário, se instala, quando se valoriza as pessoas e as coisas certas. Também quando se guarda boas lembranças de alguém que partiu, sem querer nos deixar.
Outras mulheres vivenciam com dificuldade as diferentes fases da vida: morte de alguém querido, divórcio, perda de um amor, desilusão com um amigo, filhos que não correspondem às expectativas, falta de alguém com quem conversar. Machucam os nós dos dedos, dando socos no muro de pedra; rebelam-se contra o ciclo da vida, como se adiantasse."
É isso. Quis registrar.


Online

olhando emails
secando a louça
lavando poemas
varrendo a alma
escovando o dia
Imagem: Céu no Varal
Claudia Degliuomini

25.4.08

Que fooome!! :)

Já faz tempo, mas só lembrei agora, mexendo numas fotos, de falar sobre a delícia que é ser recebida com carinho e comer uma comidinha deliciosa, feita especialmente pra gente!
O Waguinho sabe fazer as duas coisas bem demais e comprovei isso no jantar das fotos acima!
Pedi a receita, mas ele nem me deu conversa, então vai "de memória":

Salada do Waguinho
alface roxa
alface crespa
alface americana
figos
presunto de Parma fatiado
queijo gorgonzola

Ele lavou e secou bem todas as folhas, e cortou-as irregularmente com a mão em dois ou três pedaços, cortou as fatias de presunto em tiras, descascou e partiu os figos em 4 pedaços e dispôs tudo num prato, regando com aceto balsâmico e azeite de oliva.
Ficou linda e deliciosa! Combinação perfeita de sabores!

Bruschetta de Tomate
algumas fatias de pão italiano
1 dente de alho amassado
1 colher de sopa de azeite
2 tomates picados
sal a gosto
manjericão em folhas

Ele assou em forno alto preaquecido as fatias de pão, por uns 10 minutos.
Esquentou o azeite, colocou o alho, o sal e o tomate. Refogou bem por uns 2 minutos em fogo baixo. Espalhou sobre as fatias de pão, decorou com folhas de manjericão e pronto!!
Minha memória pode ser perfeita, as vezes! Hummmmm! Lembro até do cheirinho, vindo do forno! (Talvez só minha memória gustativa e olfativa sejam boas!)

Ah! E teve a caipirinha com uvas! É só amassar a uva (verde ou itália), com um pouquinho de açuçar, pôr muito gelo e vodka! Bem mais fácil de fazer do que a de limão!
Pensei em tentar fazer estas receitas, hoje, mas sei lá...
Sempre que vou para cozinha tenho vontade de falar aquele texto:
"- Providenciem panos limpos e água fervente!", como nos filmes americanos, quando vai haver um parto. Não sei para que servem, mas o momento é crítico!

Aniversário da Mariana

"Toda vida existe pra iluminar o caminho de outras vidas que a gente encontrar”!

Fui lá no Sítio de Maricota "capturar" algumas fotos da Mariana e esqueci da vida!
Que coisa boa ler os seus posts cheios de sensibilidade, graça, inteligência! "O Sítio é lindo, lúdico, leve e saboroso de se ler, faz sorrir..."(comentário que tem lá!)
Um dos primeiros posts é revelador:
"A maricota (Balzachia recifensis) é uma espécie rara catalogada pela primeira vez no nordeste do Brasil, em 1973. Sua principal característica é a inconstância: trata-se de um ser extremamente mutante. Sua pelagem ora é longa ora é curta, e por vezes se tinge de vermelho. O peso oscila, assim como as idéias. Diante do espelho, a maricota se mostra como fada, dragão, borboleta, flor e lesma. São grandes, gregárias e gostam de comer chocolate. Nascem cabeludas e de olhos abertos, no fim do mês de abril. Aparentemente inofensivas, quando provocadas elas explodem em ira: suas mordidas tem a intensidade das de um cachorro rotweiller. Para conquistá-las, deve-se cutucar seus pés e alisar seus cabelos. Ainda não se sabe ao certo a rotina das maricotas, porque elas mesmas hesitam em decidi-la. Por vezes migram após completarem 30 anos, mas suas raízes são fixas e elas sempre regressam a seu lugar de origem. São crédulas, ingênuas, acham que sabem tudo e fazem qualquer coisa por um amigo."
Ou:
"Mariana Cunha Mesquita do Nascimento nasceu no Recife, em 1973. É jornalista e pesquisadora em comunicação, e atualmente cursa doutorado na Universidade Federal Fluminense. Não sabe cantar, não sabe dançar, mas adora estar no meio da farra, e registrar as brincadeiras da Zona da Mata pernambucana foi, para ela, um processo apaixonante, que a fez crescer como pesquisadora e como pessoa. Apesar de ser filha de classe média - uma ‘menina de granja’ criada em apartamento, como dizia seu avô - a autora sempre se sentiu próxima das culturas populares, e freqüentava as festas no terreiro de Mestre Salu muito antes de pensar em fazer uma pesquisa sobre sua família." (Maio, 2005)
Muita coisa aconteceu, de lá pra cá e, ultimamente, ela anda ocupada demais, sendo "Mãe do Antonio" e criando casulinhos, mas há de achar tempo de voltar a escrever algumas coisas, lá no Sítio, como, por exemplo, o que escreveu no seu aniversário há dois anos:
"Sou mais e mais uma balzaquiana sem juízo perdida no mundo, mas uma balzaquinha mais feliz consigo mesma do que quando tinha 23 anos.
É verdade, não é demagogia. Tou mais bonita, mais auto-confiante, e apesar de ter pontos a aperfeiçoar no corpo e na alma, me sinto mais completa e muito, muito melhor. Por isso não tem crise dos trinta nem pinóia do gênero que me abata."
Bom... vou terminar este post e voltar correndo, reler o Sítio! Façam a mesma coisa! :)
Não sem antes desejar um feliz aniversário para a Mariana!! Com "M" Maiúsculo de Maricota, Menina, Mulher, Mãe, Mestre e Maravilhosa!! Tá... meio Maluca, também! Graças a Deus!
________________________________________
A Mariana falou das flores aqui! Que bom! :)

24.4.08

Rio Branco, Uruguay

Tão raro poder viajar com meus filhotes - os dois na mesma viagem!
Isso aconteceu hoje e foi muuuito bom!! Durou apenas um dia, em Rio Branco, mas eu curti cada minuto!
.
Almoçamos sempre na mesma parrilla, na beira do Rio Jaguarão. Tem um ravioli de espinafre coberto com cogumelos e gratinado com muuuito queijo que é fantástico!
.
O artesanato local é muito lindo e o freeshop irresistível!
Comprinhas? Tem muita coisa com preço ótimo!
Por exemplo? Blusas Burma* por 40,00 / 3 frigideiras teflon por 9,00!
Nem vou falar de perfumes, bebidas, TVs, aparelhos de som, etc!
.
Hehehehe! Adorei esta foto do Joaquim!!
.
Pausa para um Pomelo.
.
* Obs: Burma são aquelas malhas fabricadas no Uruguai, com lã de uma maciez incrível, que não perdem a forma nunca, nem ficam cheias de bolinhas!
.

23.4.08

Aniversário da Deby

Festejamos na pizzaria Nella Pietra! Amigos, carinho, alegria... tudo acaba em pizza! Heheheh!Para a Débora, minha amiga querida, que foi minha colega quando eu trabalhava no banco - época de convivência diária e enriquecedora, estas "Tres Cosas":

Tres cosas irrevocables para la Vida son
El tiempo
Las palabras
y las oportunidades

Tres cosas que no debes negarle a tu Vida son
Serenidad
Honestidad
Y Esperanza

Tres cosas que deterioran la Vida son
El orgullo
La arrogancia
Y el enojo

Tres cosas que son tu elección
Tus Sueños
Tu éxito
Y tu destino

Tres joyas que se tienen en la Vida son
La autoestima
El amor
y Verdaderos Amigos
.

Olhar de peregrino

Paisagens deslumbrantes...
.
Contorno do Morro do Elefante / Santa Maria, RS
.
Estrada das Três Barras, Santa Maria, RS
.
Um riacho, em São Sepé, RS
.
Vale Vêneto
.
Chaleiras no galpão
.
Mais fotos no Fotoblog dos Peregrinos de Santa Maria.

22.4.08

Confluência...


É tão natural
que eu te possua
é tão natural que tu me tenhas,
que eu não me compreendo
um tempo houvesse
em que eu não te possuísse
ou possa haver um outro
em que eu não te tomaria.
Venhas como venhas,
é tão natural que a vida
em nossos corpos se conflua,
que eu já não me consinto
que de mim tu te abstenhas
ou que meu corpo te recuse
venhas quando venhas.
E de ser tão natural
que eu me extasie
ao contemplar-te,
e de ser tão natural
que eu te possua,
em mim já não há como extasiar-me
tanto a minha forma
se integrou na forma tua.

Affonso Romano de Sant'Anna,
em Poemas para a Amiga, Fragmentos 3

Bety Bistrô

No domingo fiz uma coisa que não fazia há muito tempo: saí para dançar com uma turma divertida, de Santa Vitória, família da Mariana, amiga da Kika! Eles formam uma família especial e estavam alegres - afinal não é fácil reunir 5 irmãs que não moram na mesma cidade!
Fomos no Bety Bistrô. O lugar é bem bonito, com teto de palha, paredes de cores diferentes, quadros e luminárias. Adorei as mesas, revestidas em cerâmica e a pequena pista de dança, tudo muito simples, mas bem charmoso!
O melhor de tudo foi a música ao vivo, com o popular e talentoso Solon Silva. No repertório samba, seresta, bossa nova e tudo mais que os frequentadores vão pedindo! Pedi "Tiro ao Álvaro", claro!
É um bom lugar para se reunir amigos. Dá para ir cedo e jantar (no cardápio filés, peixes, arroz com camarão ou galinha, o autêntico carreteiro de charque, panquecas e caldos) e depois ficar batendo papo, ouvindo boa música e dançando!
Até que nem pisei no pé do Joaquim! E adorei estar com ele assim... dançando, alegre!

20.4.08

Para a Clarice

No dia do seu aniversário...
Aprendi muitas coisas com ela e este texto, da Ailin Aleixo , fala um pouco do que ela tem vivido e de como é importante fazer escolhas e manter a coragem! Sempre!

"Partir é inevitável.
Um dia abandonaremos o conhecido, seja impulsionados por insatisfação, necessidade ou desejo. Em algum momento chegará o fim da inocência escolar, da proteção da casa dos pais, do conforto de um abraço, do calor de um beijo, de um casamento falido, do emprego insatisfatório, da vida. Querendo ou não, partiremos. É a única certeza verdadeira. A grande certeza.
Partir é essencial. Por mais que tenhamos consciência do que, de quem, nos cerca, os fatos, detalhes ínfimos e tão importantes, pessoas, lugares, cheiros, músicas, só se tornam especiais ao virarem história; a velha mania tão humana de valorizar apenas o perdido. Ou o vivido.
Partir é a coragem de abandonar o mapeado e rumar para o incógnito, sem trilha marcada nem estrada pavimentada. É curtir o nó no estômago diante no novo, essa paisagem tão bela e pouco apreciada.
Partir nos faz mais fortes, curiosos, atentos. Atiça os sentidos. Ficamos menos dependentes e nos livramos dos grilhões (para alguns, confortadores) do familiar. Partir causa movimento porque, assim como água parada apodrece, nós corremos o risco de virar rascunhos de nós mesmos ao acostumar com a estagnação. Nada é mais perigoso do que ficarmos satisfeitos com o medíocre.
Partir pode doer para quem fica, mas não mata. Ao contrário, cria infinitas e novas possibilidades de histórias a serem desenhadas com quaisquer cores (ou ausência delas para os mais melancólicos) numa folha em branco. Num futuro todo. Numa existência plena.
Viva cada história até o último detalhe, tome até a última gota de todos seus momentos porque não há nada mais reles do que abandonar a vida por covardia, esconder-se dela detrás de falsos motivos. Não há nada mais deprimente do que alguém que finge partir quando, na verdade, está fugindo. Furtar-se a viver plenamente com toda a dor, alegria, tristeza, desamores e paixões é o mesmo que não ter nascido. Mas vá, se sentir que precisa ir. Vá, se o que o move é impossível de domar. Não deixe o medo paralisá-lo. Ignore os que não entendem, criticam, alertam, amedrontam porque esses, enquanto você segue seu faro, escrutina o desconhecido, permanecerão no mesmíssimo lugar. Criarão musgo, não sairão do decadente quarteirão da resignação—e isso sim é assustador
." (Ailin Aleixo)

.

A foto das gurias (lindas!!) é só para enfeitar este post!
Feliz Aniversário, Clarice! E "uma existência plena!"

Beijos no Zezinho e Eduardo (Fiquei "devendo" as fotos deles!)

A Riqueza Total


.
"Tu não precisas de ser pobre por fora para ser rico por dentro.
E não precisas de ser rico por fora e deixar de ser rico por dentro.
É assim que tem sido até agora - o Ocidente escolheu um caminho: Ser rico por fora!
O Oriente escolheu outro caminho: Ser rico por dentro!
Ambos estão desequilibrados. Ambos têm sofrido, ambos sofrem.
Eu ensino a riqueza total.
Ser rico por fora através da ciência, e ser rico no mais profundo do coração através da religião.
E é assim que te tornarás um, indivíduo, orgânico."


Osho - Li aqui.
.

Sementes


Imagens Adela Casado

"Vejo a humanidade em uma situação de apocalipse,
entendendo a palavra apocalipse como revelação.
Há algo desmoronando, e há também algo que está nascendo.
Nós escutamos o barulho do carvalho que cai,
mas não escutamos o barulho da floresta que brota.
Ouvimos o ruído das torres desmoronando, mas não escutamos a consciência que desperta.
No mundo de hoje há muitas coisas que desmoronam, e em geral falamos das coisas que fazem ruído, mas não falamos das sementes de consciência e de luz que estão germinando."
.
Jean-Yves Leloup
.

19.4.08

Maré

Ouvi a tarde inteira o CD "Maré", da Adriana Calcanhoto! Muuuito bom!
Tem uma música, "Porto Alegre" que fala do mito grego de Calipso, ninfa do mar, e tem participação da Marisa Monte e seu canto de sereia.
Adriana disse o seguinte, sobre esta participação:
"Simpatizo com o arquétipo da mulher que é a música do mar, sensual, maternal, irresistível, hipnótica, Kianda. Meio mulher, meio peixe, entre o fundo e a beira, e que detém o canto, no sentido de canto primeiro, do nascimento do canto, anterior à palavra. Nenhum canto contemporâneo que conheço se aproxima tanto dessa fluidez primordial como o de Marisa Monte; sei da identificação dela com as sereias; daí propus que criasse como e quantas sereias quisesse, podendo ser as sereias e Calipso também.
No estúdio foi lindo, ela chegou, conversamos um pouquinho, ela abriu um Hall’s e foi para o microfone. De lá nos hipnotizou a todos, brincando, improvisando uma profusão de cantos e inventando sereias graves, agudas, trinadas, de todos os modelos e tipos. Difícil foi escolher depois".

E tem, também, "Três":
.
Eu quero tudo que há
O mundo e seu amor
Não quero ter que optar
Quero poder partir
Quero poder ficar
Poder fantasiar
Sem nexo e em qualquer lugar
Com seu sexo junto ao mar.

Tomando no Cruz! :P




Ontem era o aniversário da Mariana (na 1ª foto) e fomos "tomar no Cruz"! Esta é uma gíria de Pelotas, que começou na campanha publicitária da Choperia Cruz de Malta e se incorporou no jeito de falar dos pelotenses! Agora todo mundo usa!
É um dos lugares onde mais gosto de ir, aqui em Pelotas!
Ontem já estava friozinho, mas sem nenhum vento, então sentamos na rua!
Gostei de ter ido, porque gosto muito dos amigos da Kika e porque pude matar as saudades, depois dela ter passado quase uma semana em Porto Alegre!

18.4.08

E as eternas questões ...

"Como os homens conseguem se lembrar da escalação completa - com titulares, reservas e comissão técnica - de um time de futebol de 50 anos atrás e não conseguem lembrar uma simples data de aniversário?"

"Geralmente os homens se lembram dos primeiro meses de namoro. Tem aqueles que, até o quinto ou sexto mês, mandam cartões, flores e presentes, mas apenas no "inicio" do namoro. Parece existir no sexo masculino um mecanismo que, acionado em certo momento da relação, o faz lembrar que já a "conquistou" e que, a partir daquele momento, qualquer demonstração de afeto explícito - como o de se lembrar de datas importantes - se desfaz como por arte de mágica. Não apenas datas comemorativas são esquecidas, como também gestos carinhosos e declarações de amor. Mas vale lembrar que homens são "atemporais". Para eles, o "te ligo amanhã" pode ser em duas semanas, sem imaginar que existe uma mulher se remoendo porque ele não deu notícias. O mesmo acontece com datas. Muitos acham que o fato de ser um bom marido, trabalhador e excelente pai os exime de lembrar desses dias tão importantes para as mulheres. Enfim, não procure explicações, tente entender esses complicados seres com seus defeitos e virtudes. Com certeza, será muito mais feliz." Daqui!
Marcelo Puglia, jornalista e escritor, autor de "Manual de Instruções dos Homens - Como Entender o Complicado Universo Masculino"

"Não procure explicações e tente entender??" Não entendi! :(

__________________________________

Já as mulheres são seres estranhos! Têm, também, uma memória esquisita e uma lógica provavelmente incompreensível para os homens! (Bem feito!)

Já ouviram falar em "olho mágico"? "Olho clínico"?
E em "olho-captador-de-tarefas-rotineiras"? Hein??

Pois existe:
"depois de uma certa idade, você percebe que sempre faz a mesma coisa. e fica muito boa nisso.
então, eu levanto e inconscientemente, já traço mentalmente um trajeto: quarto-banheiro-quarto-circulação-sala-cozinha. conforme vou percorrendo este trajeto, na primeira ida,vou diagnosticando os problemas, como se eu fosse um agente daqueles tipo missão impossível.
meu olho vai captando as tarefas rotineiras." (Continua...)

E quem conhece o "Fator Jaque"? Conheci hoje:
"Pra quem pensa em reformar a moradia, um aviso: cuidado, mas muito cuidado com o fator jaque: já que vou me mudar, vou pintar antes. Já que vou pintar, vou trocar os interruptores. Já que vou trocar os interruptores, vou dar uma geral na elétrica. Já que vou olhar a elétrica, vou trocar a parede de lugar." (Continua...)

Pois é... Recomendaria aos homens que não procurem explicações. Apenas tentem entender! :P

Related Posts with Thumbnails