5.8.17

8º Aniversário do Henrique!

"Hoje é dia de agradecer por mais um ano de vida do Henrique! De agradecer também pela família um tanto "diferentona" que temos, mas onde prevalece o respeito, amor e o cuidado acima de tudo. Hoje ele reuniu alguns amigos que gostam de jogar futebol e passou horas fazendo uma das coisas que ele mais gosta no auge destes oito anos de vida: jogar bola com os amigos, rodeado pela família! Teve também um bom churrasco assado pelo vô Antônio, com a assessoria da Lu e do Léo, que também ajudaram a vó Ana na decoração. Parabéns meu filho, que continues esse guri maravilhoso e especial, cheio de saúde!" (Lídia)

Hora do "Parabéns"! 

 Algumas presenças.

 Alguns momentos!

 Timaço!

Brasil de Pelotas / Xavante

1.8.17

Agosto

"Lembro-me bem. Foi quando julho se foi, que um vento mais gelado, mais destemperado, que arrastava ainda folhas deixadas pelo outono, me disse algumas verdades. Convenceu-me de que o céu começaria a apresentar metamorfoses avermelhadas. Que a poeira levantada por ele daria lições de que as coisas nem sempre ficam no mesmo lugar e que é preciso aceitar que a poeira só assenta depois que os redemoinhos se vão.
Foi quando julho se foi que a minha solidão me convidou para uma conversa. E me contou de tempo de esperas. E me disse que o barulho das árvores tinha algo a dizer sobre aceitação. E eu fiquei pensando como elas, as árvores, aceitam as estações que, se as estremecem, também lhes florescem os galhos. Mas tudo a seu tempo. Foi em agosto que descobri que os cachorros loucos são, na verdade, os uivos que não lançamos ao vento. São nossos estremecimentos particulares que a nossa rigidez de certezas não nos permite encarar.
O mês de agosto tem muito a ensinar. Porque agosto é mês jardineiro, é dentro dele, berço do inverno, que as sementes dormem. Aguardam seu tempo de brotar. Agosto é guardador da boa-nova, preparador de flores. Agosto é quando Deus deixa a natureza traduzir visivelmente o tempo das mutações.
Mude, diz agosto, em seu recado de sementes. Aceite, diz agosto, com seu jeito frio de vento que levanta poeira e a faz avermelhar o céu. Compartilhe, diz agosto. Agasalhos, sopas quentinhas, cafés com chocolate, abraços mais apertados – eles também aquecem a alma e aninham o corpo. Distribua mais afetos, que inverno é acolhimento, é tempo de preparar setembro. E, de setembro, todos sabemos o que esperar. Esperamos a arrebentação das cores, que com seus mais variados nomes vêm em forma de flores.
Vamos apreciar agosto, recebê-lo com o espanto feliz de quem não desafia ventos. Que ele desarrume e espalhe suas folhas e levante suas poeiras.
Aceite as esperas, mas coloque floreiras na janela.
Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera!"

Miryan Lucy de Rezende

26.7.17

Anavó

"Ser avó é um luxo, uma delicadeza da vida, um brinde de doçura. 
Tempo, tempo, tempo, és um senhor tão bonito."


Li, em algum lugar, que vivemos três infâncias; a nossa, a de nossos filhos e a de nossos netos. Deve ser por isso que é tão bom ter sido mãe e, na maturidade, ser avó! Amor multiplicado! 
Lembrei de uma música que eu adoro, dos Tribalistas: "Velha Infância". Tem tudo a ver com o que sinto pelos meus amores.

     Você é assim
     Um sonho pra mim
     E quando eu não te vejo

     Eu penso em você

     Desde o amanhecer
     Até quando eu me deito

     Eu gosto de você

     E gosto de ficar com você
     Meu riso é tão feliz contigo
     O meu melhor amigo é o meu amor

     
E a gente canta
E a gente dança
E a gente não se cansa

De ser criança
Da gente brincar
Da nossa velha infância

Seus olhos, meu clarão
Me guiam dentro da escuridão
Seus pés me abrem o caminho
Eu sigo e nunca me sinto só

25.7.17

Inês Schertel


"Sou Formada em arquitetura pela UFRGS, e sempre estive envolvida com artes plasticas, em atividades de aquarela, litogravura, desenho, artes gráficas, cenarios e direção de arte. 
Gosto de me relacionar com varios processos criativos. 
No rebanho de ovelhas do meu marido Neco Schertel em São Francisco de Paula, RS, 
vi uma enorme potencialidade na lã das ovelhas que são anualmente tosquiadas."

A simplicidade que encanta...



Imagens Pinterest

24.7.17

"O meu galpão tem silêncios que eu gosto de escutar..."





"O meu galpão tem silêncios
Que eu gosto de escutar.
Simplicidade pra alma
(Que se refaz todo o dia)
De cuidar tudo na volta
Pra transformar em poesia."

21.7.17

Nosso inverno

Se a temperatura está abaixo de zero e há geada lá fora, 
há que se aquecer a casa, a vida, o coração!

A paz de um final de tarde...

Sons, tons, sensações...

Atrás da mangueira, árvores sem folhas e bergamoteiras carregadas fazem um belo contraste.

Fila para a ração.

Azevém.

Paisagem bucólica...

Bergamota do pé é uma delícia!

Ops! Tem concorrência!

Bergamota do pé e descascada é uma delícia melhor ainda! Kkkkk!

Tão bom!

Suculenta que ganhei da Narinha.

Enfeitando a varandinha.

Solzinho...

É pela janela basculante (lateral do quarto de dormir) que vejo, logo cedinho, que o sol apareceu! 

Na minha mesa de cabeceira, alguns dos sorrisos que mais amo! 

Café da manhã na beira do fogo tem sabor especial.

Com pão de casa, hummmm... Estes, deliciosos, ganhamos da Edinara.

Café para quatro! Galpão com visitas!

Fogão à lenha, para aquecer a casa. Presente do Donairão.

Visão da felicidade! Sempre quis ter um! kkkk

Só que o Ricardo precisa cortar muuuita lenha!

Que vem do mato de eucaliptos. Há muitas árvores caídas lá.

Mas eu ajudo a trazer os gravetos! kkkk!  E me divirto com a curiosidade dos terneiros, que andam atrás de mim!

Cadeira no sol, para lagartear e aquecer até a alma...

Mais calor? Só com uma sopa acompanhada de um bom vinho. 
A caixinha de madeira, com CDs, foi presente da D. Petronilha. Vaso com flores, presente da Narinha.

Mais presentes da mãe do Ricardo: cerâmicas coloridas para enfeitar nosso Galpão! A toalhinha de crochê ganhamos da Fernanda e a mesinha, do Waguinho. Ninguém ganha mais presentes fofos do que eu! Adoro!

Suco de laranja misturado com suco de laranja do céu. Garantia de Vitamina C!

Meu Gaudério... Com ele tudo faz sentido!

20.7.17

Gisele Bündchen


"Usar pele verdadeira não é uma opção. 
Os grandes designers agora já fazem lindas roupas com #pelefalsa."

16.7.17

Final de semana especial, em Lavras do Sul

Encontro de Cuteleiros, no Parque do Sindicato Rural

Juliano Javoski em apresentação na Telúrica

Churrasco e cantoria no Galpão de Lata



Related Posts with Thumbnails