28.3.17

Aceitar o amor

"Hoje em dia, tudo virou uma competição. Por exemplo: quem é mais frio ganha, quem ignora mais ganha, quem trata pior ganha, quem destrói o outro primeiro ganha, quem vai embora primeiro ganha, quem desiste primeiro ganha, e por aí vai. Mas devemos ser diferentes dessas pessoas, devemos aceitar o amor dos outros, os carinhos, os cuidados, a atenção, os conselhos, porque ainda existem pessoas que valem a pena, que querem estar ao nosso lado, que querem nos fazer bem. Não seja rude, apenas retribua, porque amor e carinho não fazem mal a ninguém, deixe o afeto te afetar."
E. Ross


Pressupõe... ação!

Lanternas



Para serem usadas ao ar livre...
Fica tão bonito!

24.3.17

Dicionário das Tristezas Obscuras

Fiquei lendo cada uma das emoções e achei muito interessante como foram descritas!
Lembrei das aulas de Filosofia da Linguagem, que tive com o Professor Ronai (Ronai Rocha, da UFSM) e senti saudades! 
Transcrevi cada uma delas, embora tenha achado os nomes esquisitos...

Link da imagem.

"Criado pelo artista John Koenig, o Dicionário das Tristezas Obscuras, é uma coleção de palavras inventadas, que servem para oficializar emoções que as pessoas sentem mas não conseguem explicar."
1. Adronitis
 » Frustrar-se com a quantidade de tempo necessário para se conhecer bem alguém.

2. Aimonimia
 » O medo de que aprender o nome de algo – um pássaro, uma constelação, uma pessoa bonita – vai estragar tudo. Transformando uma descoberta do acaso, em uma casca conceitual vazia.

3. Ambedo
 » Um tipo de transe melancólico no qual você se torna completamente absorto por pequenos detalhes sensoriais – pingos de chuva escorrendo pela janela, árvores altas se dobrando lentamente com o vento, espirais de creme se formando no café – o que, por fim, leva a uma avassaladora constatação da fragilidade da vida.

4. Anchorage
 » O desejo de segurar o tempo enquanto ele passa, como tentar se segurar em uma pedra no meio de um rio com muita correnteza.

5. Anecdoche
 » Uma conversa em que todo mundo está falando mas ninguém está ouvindo.

6. Anemoia
 » Nostalgia de um tempo no qual você nunca viveu.

7. Anthrodynia
 » Um estado de exaustão ao perceber o quão horríveis as pessoas podem ser umas com as outras.

8. Chrysalism
 » A tranquilidade confortável de se estar dentro de casa durante uma tempestade.

9. Ecstatic Shock
 » A onda de energia que surge ao olhar de relance para alguém que você gosta.

10. Ellipsism
 » Uma tristeza por não ser capaz de saber como a história vai terminar.

11. Énouement
 » A sensação agridoce de ter chegado no futuro, visto como tudo aconteceu, mas não ser capaz de contar para o seu ‘eu’ do passado.

12. Exulansis
 » A tendência de desistir de tentar falar sobre uma determinada experiência porque as pessoas são incapazes de se relacionar com ela.

13. Gnossienne
 » O momento em que você percebe que alguém que você conhece há anos tem uma vida interna, privada e misteriosa.

14. Jouska
 » Uma conversa hipotética que você repete compulsivamente na sua cabeça.

15. Kairosclerosis
 » O momento em que você percebe que está feliz – e tenta conscientemente aproveitar essa sensação – o que obriga seu intelecto a identificar e colocar a sensação em um contexto, onde a felicidade lentamente se dissolve até se tornar pouco mais do que um retrogosto.

16. Kenopsia
 » A atmosfera misteriosa e desamparada de um lugar que normalmente está cheio de gente, mas que agora está abandonado e quieto.

17. Lachesism
 » O desejo de ser atingido por um desastre – sobreviver a uma queda de avião, ou perder tudo em um incêndio.

18. Lalalalia
 » Dar-se conta, enquanto fala sozinho, que outra pessoa pode estar escutando, o que o leva a rapidamente transformar as palavras em algum cantarolar sem sentido.

19. Lapyear
 » A idade em que você se torna mais velha do que seus pais eram quando você nasceu.

20. Lethobenthos
 » O hábito de esquecer o quão importante uma pessoa é para você, até o momento em que você a encontra pessoalmente.

21. Liberosis
 » O desejo de se importar menos com as coisas.

22. Mimeomia
 » Frustração ao perceber o quão facilmente você se encaixa em um estereótipo.

23. Monachopsis
 » O sentimento sutil mas persistente de estar fora de lugar.

24. Moriturism
 » Perceber, como um solavanco durante um momento de insônia, que você vai morrer.

25. Nementia
 » O esforço que vem logo após um momento de distração, para lembrar porque é mesmo que você está se sentindo irritada, ou ansiosa, ou animada.

26. Nodus Tollens
 » Dar-se conta de que o roteiro da sua vida já não faz o menor sentido.

27. Occhiolism
 » Dar-se conta da pequenez da sua perspectiva. Com a qual você não tem como chegar a qualquer conclusão significativa sobre o mundo, o passado, ou as complexidades da cultura.

28. Onism
 » A frustração de estar preso em apenas um corpo que habita apenas um lugar por vez.

29. Opia
 » A intensidade ambígua de olhar alguém nos olhos, e sentir-se simultaneamente invasivo e vulnerável.

30. Reverse Shibboleth
 » A prática de atender o telefone com um “alô?” genérico, como se você já não soubesse quem está ligando.

31. Rückkehrunruhe
 » O sentimento de voltar para casa depois de uma viagem imersiva, e perceber que toda a experiência já está desaparecendo rapidamente da sua consciência.

32. Sonder
 » Dar-se conta de que cada pessoa tem uma vida tão vívida e complexa quanto a sua – populada por ambições, amigos, rotinas, preocupações e loucura.

33. Scabulous
 » Sentir orgulho de uma cicatriz. Como um autógrafo dado a você pelo mundo.

34. The Bends
 » A frustração ao perceber que você não está aproveitando uma experiência tanto quanto deveria.

35. Trumspringa
 » A tentação de sair da sua meta de carreira e se tornar pastor de ovelhas nas montanhas.

36. Vemödalen
 » Frustração ao fotografar algo incrível quando milhares de outras fotos idênticas já existem.

37. Vemödalen
 » Medo de que tudo já tenha sido feito.

38. Waldosia
 » Olhar para todos os rostos em uma multidão, procurando uma pessoa específica que não teria motivo algum para estar aí.

39. Zenosyne
 » A sensação de que o tempo está passando cada vez mais rápido.

22.3.17

Limites


"Precisamos de limites. Eles nos definem, dão contorno ao desejo, dão fundamento a nossos princípios. Nos libertam do jugo das aparências, nos colocam em contato com nossa verdadeira forma de ser. Precisamos de limites, sobretudo, para que não façamos de nós mesmos objeto dos nossos excessos, das nossas cruezas, do nosso desamor. Precisamos de limites por amor."

20.3.17

Aniversário da Lídia


"É pisciana Sol, plano mental.
Ascendente Gêmeos, plano físico, agir.
Lua Câncer, plano emocional, sentir.
Elemento Água bem forte."
"Na etapa final do ano zodiacal, o Sol transita no signo de Peixes, águas fechando o verão. Matriz das essências e prima matéria dos eventos, o vir a ser e o eterno é: em Peixes, tudonadando vamos, encontro com a fonte em si, em nós e além. Com-paixão, oceano infinito compartilhado, arte e ciência de enriquecer a finitude, travessia.
Em Peixes, a imersão na totalidade, prenhe de possibilidades.
Incubação potencial, gestação do novo ciclo que se abrirá com o ingresso do Sol em Áries, em 20 de março, e dará luz ao Ano-Novo Solar e Astrológico."

Palavras da Amanda Costa AstroPoética, nesse dia tão bonito...
Minha pisciana querida! Trata de ser muito feliz!
Feliz aniversário! 

Outono


A melhor das estações...

19.3.17

1ª Viagem da Elisa


Veio a Lavras, conheceu a Bisavó Edith, muitos tios e primos, e visitou o Galpão!
Amada demais, observando tudo, distribuindo sorrisos e deixando sua vó ainda mais encantada! 


- Com 3,5 meses -

13.3.17

Amigos

Li e concordo:
"As pessoas costumam dizer frases feitas sobre os amigos, muitos dizem que podem contar nos dedos de uma única mão os seus verdadeiros amigos. Eu não. Nunca conseguirei contar os meus amigos nos dedos, mesmo que eu fosse uma centopeia. 
Posso isso sim, compartimentar os amigos - com alguns eu falo de minha vida pessoal, com outros vou ao cinema, existem aqueles com os quais discutimos as maneiras de salvar o mundo, com outros eu me divirto e rio até quase cair e assim vou vivendo a vida bem feliz porque não sendo perfeita, não faço questão nenhuma de ter amigos perfeitos. São meus amigos porque gosto deles, reais, virtuais e qualquer categoria mais que quiserem inventar."
Maria Olimpia Alves de Melo



9.3.17

...aceitação da vida em eterna mudança

“A inocência que advém de uma profunda experiência de vida é semelhante à de uma criança, sem ser infantil. A inocência das crianças é bela, mas ignorante. Ela será substituída por desconfiança e dúvida à medida que a criança for crescendo e aprendendo que o mundo pode ser um lugar perigoso e ameaçador. A inocência, porém, de uma vida plenamente vivida tem um quê da sabedoria e da aceitação da vida em eterna mudança”.

Osho / Foto tirada em Pelotas, 09/03/2017.

8.3.17

8 de março

            "Parabéns para você, que, linda, lida com explosões hormonais uma vez ao mês. Que sente tudo inchar. Que chora por besteira. Que valoriza bobagens. Que acredita em filmes de amor. Que faz coleção de esmaltes. Que ama sapatos, bolsas e cacarecos para colocar no cabelo. Que compra só porque tava em liquidação. Que sempre precisa de alguma coisa. Que acha o amor a coisa mais bonita – e importante desse mundo. Que sabe como é fundamental olhar para si mesma – ainda que de vez em quando se perca e se preocupe em demasia com o “querer” do outro. Parabéns para você, que dia a dia aprende mais sobre você mesma. Que erra para aprender. Que é forte o suficiente para seguir em frente – sem lamúrias, mas com maturidade e sensatez. Que de vez em quando esquece a própria idade e o juízo em algum canto. E depois acha, como mágica. Parabéns para você, que tem um sonho. Que não desiste, apesar do que falam. Que não se abala, apesar do medo. Que sente uma fraqueza interna, mas caminha com passos firmes. Que fica tonta, mas não desmaia. Que, apesar de cada pedra no caminho, corre. Que reclama dos problemas, mas entende que a vida é feita deles. Que tenta entender o defeito alheio – e procura perceber os seus."
Clarissa Corrêa


6.3.17

Profunda gratidão... ♥♥♥

Tão bom, tão bom, tão bom, 
que não dá para descrever!

Muitas saudades dessa duplinha, que eu amo tanto!!
Muita vontade de encher de beijos!

Elisa acabou de fazer 3 meses e me olha, com atenção...

Quando sorri, seu rostinho se ilumina!

5.3.17

Recado da manhã...


"O rancho fica deserto
por certo, bem mais tristonho
sem o teu lindo olhar
prá embalar o meu sonho."

Passando uns dias em Pelotas

Mercado Central, em fotografia de Alexandre Neutzling.              

4.3.17

Segredinhos

Um vídeo de 16 minutos. Normalmente não assisto até o fim.
Não foi o caso do "10 segredinhos de beleza infalíveis"! Gostei de assistir! É como bater papo com uma amiga divertida e cheia de ideias.
É Mônica Montone, com "dois cafés e uma água com gás".


Em preto&branco ♥


3.3.17

28.2.17

Juntos!

"Carnaval com churrasco gaúcho.
um luxo pintando de pó a folia
as cores do VG, vermelho e azul
povoam o sul de sorrisos de alegria"
Ricardo Haas 

Nosso carnaval foi assim

Sábado
Desfile do VG com a Escola de Samba "Pérola Negra" e Champanhada no Clube

 Concentração.

Fotos Nina Boeira.

Festa do VG / Clube Comercial

Fotos Maria Esther

Domingo
Churrasco, passeata e show de "Estela e Mariano", na praça

Segunda e Terça
Sede do Bloco, Telúrica e Rádio Galocha

24.2.17

"É tanto amor, que transborda do meu peito
É carnaval, 80 anos Qualquer Geito!"

video






23.2.17

Começando o Carnaval 2017



"Essas gurias são demais!
Fortes, unidas, guerreiras. Mesmo numa final difícil, levando 2x0, elas conseguiram se reerguer, empatar e ganhar nos pênaltis. Empurradas pela torcida, elas ganharam o TETRA!! E o time B, igualmente especial, ficou com o terceiro lugar e encheu nosso peito de orgulho! Amamos todas vcs e toda dedicação pelo nosso bloco!
E pra quem acha que futebol não é coisa de guria, tá aí nossa resposta! No VG, lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive ganhando campeonato de futebol! Muito amor, muito amor! ❤
O CAMPEÃO VOLTOU!
#VG80 #interblocos #étetra" (Da página do VG, no Facebook,)



Imagens aleatórias da semana que antecede ao Carnaval.
VG / 2017
Em Lavras do Sul, carnaval é reencontro!
Época de rever amigos!


__________________________
"Para aliviar a dureza que, por vezes, a vida impõe, é importante encontrar na arte e, principalmente, na arte do encontro, nas vivências, uma forma de amenizar as lutas e continuar com a esperança em dias melhores e mais cheios de amor, música, poesia e humanidade."
                                                                                                                                                                                      (A. Souza, via Facebook)

80 carnavais do "VG"


Onde comprar adereços on line? Clique aqui.

22.2.17

Kike em Lavras


Pensem numa pessoa muito, muito, muito feliz!
Kike pode ficar uma semana inteirinha comigo!
Tão bom conviver com ele, ver o quanto cresceu, quanta coisa aprendeu...
Ele é lindo demais! Mimoso demais!
É muito amor envolvido!
Related Posts with Thumbnails